× Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato
Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
Textos
Sobre 1001 LIVROS PARA LER ANTES DE MORRER (edição brasileira)

Clique AQUI para adquirir livros de Goulart Gomes.
 
 
Três anos após a publicação da edição portuguesa, chega às livrarias a edição brasileira da obra 1001 LIVROS PARA LER ANTES DE MORRER, organizada pelo professor de literatura inglesa da Universidade de Sussex, Peter Boxal. Em verdade, é um novo livro, muito aperfeiçoado e mais ao gosto dos leitores brasileiros que o anterior. Foram realizadas 185 alterações, ou seja, quase 20% de renovação, com uma série de adequações verdadeiramente necessárias, de forma a prestigiar um pouco mais a riquíssima Literatura Brasileira, uma das melhores do mundo.
 
Algumas “distorções” foram corrigidas. Uma das críticas que fiz à edição anterior foi a do excessivo número de autores de língua inglesa. Na atual edição, 23 destes livros foram excluídos, ajustando, inclusive, a proeminente participação de alguns escritores, como Ian McEwan, Philip Roth e William Faulkner que, juntos, tiveram 11 livros retirados da coletânea. Houve, também, uma verdadeira “troca” entre autores portugueses e brasileiros, uma vez que a edição anterior, publicada pela editora Lisma, de Portugal, não poderia deixar de querer evidenciar os autores daquele país: foram retirados 21 livros de autores portugueses e incluídos 29 livros de autores brasileiros, que passaram a ter 48 títulos relacionados, quase 5% do conjunto.
 
Das exclusões em geral, a minha surpresa foi com a retirada dos romances brasileiros Dona Flor e seus dois maridos, de Jorge Amado; Fundador e A república dos sonhos, ambos de Nélida Piñon, que desapareceu da obra. Além destes, causou-me espanto a supressão de A metamorfose, de Kafka; O jogador, de Dostoiévski; Um homem que dorme, de Georges Peres; a trilogia O visconde partido ao meio, O barão nas árvores e Cavaleiro inexistente, de Ítalo Calvino e O Aleph, de Jorge Luis Borges. Como autor de ficção científica, desagradou-me sobremaneira a exclusão de Fahrenheit 451, de Ray Bradbury e A mão esquerda das trevas, de Ursula K. Le Guin, o que diminuiu ainda mais a participação deste gênero na obra.
 
Quanto às inclusões, além das obras brasileiras listadas abaixo, destaque para Bolor, de Augusto Abelaira; Equador, de Miguel Sousa Tavares; Ficções, de Jorge Luis Borges; Finnegans Wake, de James Joyce e Neve, de Orhan Pamuk e o signicativo número de livros de autores da África, Ásia e Leste Europeu. De todos os incluídos, nove obras já constavam em minha lista 100 LIVROS RECOMENDADOSFicções, de Jorge Luis Borges; Vidas secas, de Graciliano Ramos;
Sagarana, de Guimarães Rosa; Triste fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto; O quinze, de Rachel de Queiroz; O ateneu, de Raul Pompéia; Fogo morto, de José Lins do Rego; O coronel e o lobisomem, de José Cândido de Carvalho e O Romance da Pedra do Reino, de Ariano Suassuna.
 
Em suma, esta nova edição de 1001 LIVROS PARA LER ANTES DE MORRER cumpre com excelência o papel ao qual se propõe, apresentando um panorama mais justo da literatura universal e proporcionando uma maior evidência aos autores do Brasil, tornando-se uma obra de referência para leitores, escritores, professores, acadêmicos, críticos e apaixonados em geral. Confira, abaixo, as listas das obras brasileiras incluídas e de todas as 185 obras excluídas e incluídas, em relação à edição anterior.

 
 
 
1. Obras brasileiras incluídas:
 
A moreninha, Joaquim M. Macedo
Memórias sgto de milícias, Manuel A. de Almeida
Iracema, José de Alencar
Senhora, José de Alencar
O ateneu, Raul Pompéia
Triste fim de Policarpo Quaresma, Lima Barreto
O quinze, Rachel de Queiroz
A bagaceira, José Américo de Almeida
Reinações de Narizinho (O sítio do pica-pau amarelo), Monteiro Lobato
Menino de engenho, José Lins do Rego
Serafim ponte grande, Oswald de Andrade
Capitães de Areia, Jorge Amado
Vidas secas, Graciliano Ramos
Fogo morto, José Lins do Rego
Sagarana, Guimarães Rosa
O tempo e o vento, Érico Veríssimo
O encontro marcado, Fernando Sabino
Crônica da casa assassinada, Lúcio Cardoso
O coronel e o lobisomem, José Cândido Carvalho
Quarup, Antonio Callado
Romance da Pedra do Reino , Ariano Suassuna
Os colegas, Lygia Bojunga
As meninas, Lygia Fagundes Telles
A grande arte, Rubem Fonseca
Viva o povo brasileiro, João Ubaldo Ribeiro
Quase memória, Carlos Heitor Cony
Dois irmãos, Milton Hatoum
Nove noites, Bernardo Carvalho
O filho eterno, Cristovão Tezza
 
 
2. Todas as obras excluídas:
 
Facundo: civilização e barbárie, Domingo Faustino Sarmiento, 1845, Argentina
Der grüne Heinrich, Gottfried Keller, 1854, Suíça
Amor de perdição, Camilo Castelo Branco, 1862, Portugal
O jogador, Fyodor Dostoyevsky, 1866, Rússia
Pepita Ximenes, Juan Valera, 1874, Espanha
A vida e a morte do Prefeito de Casterbridge, Thomas Hardy, 1886, Inglaterra
Ela, Henry Rider Haggard, 1887, Inglaterra
A volúpia, Gabriele D'Annunzio, 1898, Itália
Além, Joris-Karl Huysmans, 1891, França
A assassina, Alexandros Papadiamantis, 1903, Grécia
A taça de ouro (Infidelidades), Henry James, 1904, EUA
A confissão de Lúcio, Mário de Sá-Carneiro, 1914, Portugal
A metamorfose, Franz Kafka, 1915, Rep. Tcheca
Winesburg, Ohio, Sherwood Anderson, 1919, EUA
O banqueiro anarquista, Fernando Pessoa, 1922, Portugal
O ouro, Blaise Cendrars, 1925, Suíça
Manhattan Transfer, John dos Passos, 1925, EUA
Moravagine, Blaise Cendrars, 1926, Suíça
A serpente emplumada, D. H. Lawrence, 1926, Inglaterra
A ponte de San Luis Rey, Thornton Wilder, 1927, EUA
Declínio e queda, Evelyn Waugh, 1928, Inglaterra
Seara vermelha (Ceifa vermelha), Dashiell Hammett, 1929, EUA
Os sete loucos, Roberto Arlt, 1929, Argentina
O Som e a Fúria, William Faulkner, 1929, EUA
Enquanto Agonizo, William Faulkner, 1930, EUA
Vôo noturno, Antoine de Saint-Exupéry, 1931, França
Áden, Arábia, Paul Nizar, 1931, França
A estrada do tabaco, Erskine Caldwell, 1932, EUA
Os quarenta dias de Musa Dagh, Franz Werfel, 1933, Áustria
Testament of youth, Vera Britiain, 1933, Inglaterra
Morte a Crédito, Louis-Ferdinand Céline, 1936, França
In parenthesis, David Jones, 1937, Inglaterra
Ferdydurke, Witold Gombrowicz, 1937, Polônia
Alamut, Vladimir Bartol, 1938, Itália
Johnny vai à guerra, Dalton Trumbo, 1939, EUA
O coração é um caçador solitário, Carson McCullers, 1940, EUA
A Invenção de Morel, Adolfo Bioy Casares, 1940, Argentina
Terras do meu país, Cesare Pavese, 1941, Itália
Vindima, Miguel Torga, 1945, Portugal
O Senhor Presidente, Miguel Ángel Asturias, 1946, Guatemala
Vou cuspir no seu túmulo, Boris Vian, 1946, França
Exercícios de Estilo, Raymond Queneau, 1947, França
Quérelle, Jean Genet, 1947, França
O coração da matéria, Graham Greene, 1948, Inglaterra
Confissões de uma máscara, Yukio Mishima, 1949, Japão
O céu que nos protege, Paul Bowles, 1949, EUA
O Aleph, Jorge Luis Borges, 1949, Argentina
Diário de um ladrão, Jean Genet, 1949, França
Retalhos da vida de um médico, Fernando Namora, 1949, Portugal
A vida breve, Juan Carlos Onetti, 1950, Uruguai
O assassino em mim, Jim Thompson, 1952, EUA
Chão em chamas, Juan Rulfo, 1953, México
Fahrenheit 451, Ray Bradbury, 1953, EUA
The ginger man, J. P. Donleavy, 1955, EUA
Memed, meu falcão, Yasar Kemal, 1922, Turquia
O homem no terno da flanela cinza, Sloan Wilson, 1955, EUA
A casa grande de Romarigães, Aquillino Ribeiro, 1957, Portugal
A crônica dos Wapshot, John Cheever, 1957, EUA
Noite, Elie Wiesel, 1958, Romênia
Quando os lobos uivam, Aquillino Ribeiro, 1958, Portugal
Henderson, o rei da chuva, Saul Bellow, 1959, Canadá
Trilogia: Os nossos antepassados, Italo Calvino, 1960, Cuba
O mundo é dos violentos, Flannery O'Connor, 1960, EUA
Uma casa para Mr. Biswas, V. S. Naipaul, 1961, Trinidad
Revolutionary road, Richard Yates, 1961, EUA
Os desgarrados (Os invictos), William Faulkner, 1962, EUA
O colecionador, John Fowles, 1963, Inglaterra
City of night, John Rechy, 1963, EUA
A torre de Barbela, Ruben A., 1964, Portugal
Última saída para Brooklyn, Hubert Selby Jr., 1964, EUA
Dona Flor e seus dois maridos, Jorge Amado , 1966, Brasil
Vasto mar de sargaços, Jean Rhys, 1966, Dominica
Um homem que dorme, Georges Perec, 1967, França
O grito silencioso, Kenzaburo Oe, 1967, Japão
A brincadeira, Milan Kundera, 1967, Rep. Tcheca
O delfim, José Cardoso Pires, 1968, Portugal
In watermelon sugar, Richard Brautigan, 1968, EUA
A mão esquerda das trevas, Ursula K. Le Guin, 1969, EUA
Fundador, Nélida Piñon, 1969, Brasil
A noite e o riso, Nuno Bragança, 1969, Portugal
Ubik, Philip K. Dick, 1969, EUA
O rei dos álamos, Michel Tournier, 1970, França
Num país livre, V. S. Naipaul, 1971, Trinidad
Wild boys, William Burroughs, 1971, EUA
Malina, Ingeborg Bachmann, 1971, Áustria
A luz que rompe das trevas, Alex la Guma, 1972, África do Sul
Café da manhã dos campeões, Kurt Vonnegut, 1973, EUA
Momo e o Senhor do Tempo, Michael Ende, 1973, Alemanha
Eu o supremo, Augusto Roa Bastos, 1974, Paraguai
Zen e a arte da manutenção de motocicletas, Robert M. Pirsig, 1974, EUA
Factotum, Charles Bukowski, 1975, EUA
As alegrias da maternidade, Buchi Emecheta, 1976, Nigéria
Tia Júlia e o escrevinhador, Mario Vargas Llosa, 1977, Peru
Pétalas de sangue, Ngugi Wa Thiong'o, 1977, Quênia
O louco do Czar, Jaan Kross, 1978, Estônia
O mundo segundo Garp, John Irving, 1978, EUA
A ponte dos três arcos, Ismail Kadaré, 1978, Albânia
Sinais de fogo, Jorge de Sena, 1979, Portugal
Estranhos vizinhos, Thomas Berger, 1980, EUA
O vice-rei de Uidá, Bruce Chatwin, 1980, Inglaterra
Ao Deus-dará (Estranha Sedução), Ian McEwan, 1981, Inglaterra
A costa de mosquito, Paul Theroux, 1981, EUA
Balada da praia dos cães, José Cardoso Pires, 1982, Portugal
O desgosto da Bélgica, Hugo Claus, 1983, Bélgica
As mil luzes de Nova Iorque, Jay McInerney, 1984, EUA
Filtro de amor (Feitiço de amor), Louise Erdrich, 1984, EUA
A república dos sonhos, Nélida Piñon, 1984, Brasil
Hotel du Lac, Anita Brookner, 1984, Inglaterra
Capriccio, John Fowles, 1985, Inglaterra
Meridiano sangrento, Cormac McCarthy, 1985, EUA
Abaixo de zero, Bret Easton Ellis, 1985, EUA
Gótico americano, William Gadis, 1985, EUA
O castelo branco, Orhan Pamuk, 1985, Turquia
O menino da areia, Tahar Ben Jalloun, 1985, Marrocos
O cronista esportivo, Richard Ford, 1986, EUA
A ilha, J. M. Coetzee, 1986, África do Sul
A paixão do conde de Fróis, Mário de Carvalho, 1986, Portugal
A criança no tempo, Ian McEwan, 1987, Inglaterra
Norwegian wood, Haruki Murakami, 1987, Japão
Usina de sonhos, Michael Chabon, 1988, EUA
O lindo quarto está vazio, Edmund White, 1988, EUA
Libra, Don DeLillo, 1988, EUA
A costa dos murmúrios, Lídia Jorge, 1988, Portugal
Olho de Gato, Margaret Atwood, 1988, Canadá
O livro das provas, John Banville, 1989, Irlanda
O clube da felicidade e da sorte, Amy Tan, 1989, EUA
O templo dos meus familiares, Alice Walker, 1989, EUA
Billy Bathgate, E. L. Doctorow, 1989, EUA
Uma casa no fim do mundo, Michael Cunningham, 1990, EUA
A quinta das virtudes, Mário Cláudio, 1990, Portugal
O diabo vestia azul, Walter Mosley, 1990, EUA
Coelho cai, John Updike, 1990, EUA
Geração X, Douglas Coupland, 1991, Canadá
A redundância da coragem, Tomothy Mo, 1991, China
Vale Abraão, Agustina Bessa-Luís, 1991, Portugal
Geração da utopia, Pepetela, 1992, Angola
Cães negros, Ian McEwan, 1992, Inglaterra
Jazz, Toni Morrison, 1992, EUA
A ordem natural das coisas, Antonio Lobo Antunes, 1992, Portugal
Coração tão branco, Javier Marías, 1992, Espanha
Samurai: nome de código, Neal Stephenson, 1992, EUA
O amante do vulcão, Susan Sontag, 1992, EUA
Os emigrantes, W. G. Sebald, 1992, Alemanha
Trainspotting, Irvine Welsh, 1993, Escócia
A impostora, Margaret Atwood, 1993, Canadá
Mr. Vertigo, Paul Auster, 1994, EUA
Um deus passeando pela brisa da tarde, Mário de Carvalho, 1994, Portugal
Os anéis de Saturno, W. G. Sebald, 1995, Alemanha
América, T. Coraghessan Boyle, 1995, EUA
Dia da independência, Richard Ford, 1995, EUA
Neve sobre os cedros, David Guterson, 1995, EUA
Teatro de Sabbath, Philip Roth, 1995, EUA
Clube da luta, Chuck Palahniuk, 1996, EUA
Noites de cocaína, J. G. Ballard, 1996, Inglaterra
O esplendor de Portugal, Antonio Lobo Antunes, 1997, Portugal
Pastoral americana, Philip Roth, 1997, EUA
Os símios, Will Self, 1997, Inglaterra
O divisor de nuvens, Russell Banks, 1998, EUA
A manta do soldado, Lídia Jorge, 1998, Portugal
Amsterdam, Ian McEwan, 1998, Inglaterra
Cryptonomicon, Neal Stephenson, 1999, EUA
Os românticos, Pankaj Mishra, 1999, Índia
House of leaves, Mark Z. Danielewski, 2000, EUA
Blonde, Joyce Carol Oates, 2000, EUA
A ignorância, Milan Kundera, 2000, Rep. Tcheca
Pastoralia, George Sauders, 2000, EUA
The heart of redness, Zakes Mda, 2000, África do Sul
As incríveis aventuras de Kavalier & Clay, Michael Chabon, 2000, EUA
Um pai obediente, Akhil Sharma, 2000, Índia
Asfixia (No sufoco), Chuck Palahniuk, 2001, EUA
A artista do corpo, Don DeLillo, 2001, EUA
Não te mexas, Margaret Mazzantini, 2001, Irlanda
Welcome to our hillbrow, Phaswane Mpe, 2001, África do Sul
Middlesex, Jeffrey Eugenides, 2002, EUA
Shroud, John Banville, 2002, Irlanda
A sombra do vento, Carlos Ruiz Zafón, 2002, Espanha
Um brilhante defeito, Arthur Japin, 2002, Holanda
Uma casa na escuridão, José Luís Peixoto, 2002, Portugal
O estranho caso do cachorro morto, Mark Haddon, 2003, Inglaterra
La dama número trece, José Carlos Somoza, 2003, Cuba
Branco sobre negro, Ruben Gallego, 2003, Rússia
Drop city, T. Coraghessan Boyle, 2004, EUA
A conspiração contra a América, Philip Roth, 2004, EUA
Jerusalém, Gonçalo M. Tavares, 2005, Angola
Sábado, Ian McEwan, 2005, Inglaterra
 
 
3. Todas as obras incluídas:
 
 
A moreninha, Joaquim M. Macedo , 1844, Brasil
Memórias sgto de milícias, Manuel A. de Almeida, 1854, Brasil
Silas Marner, George Eliot, 1861, Inglaterra
Iracema, José de Alencar , 1865, Brasil
Senhora, José de Alencar , 1875, Brasil
O pequeno Johannes, Frederik van Eden, 1885, Holanda
Os paços de Ulloa, Emilia Pardo Bazán, 1886, Espanha
O ateneu, Raul Pompéia , 1888, Brasil
Tess de Ubervilles, Thomas Hardy, 1874, Inglaterra
Destino da carne (The way of all flesh), Samuel Butler, 1903, Inglaterra
Hadrian the Seventh (Adriano Sétimo), Frederick Rolfe, 1904, Inglaterra
A filha da faxineira (The charwoman's daughter), James Stephens, 1912, Irlanda
Triste fim de Policarpo Quaresma, Lima Barreto , 1915, Brasil
Na tempestade de aço, Ernst Jünger, 1920, Alemanha
A floresta dos enforcados, Liviu Rebreanu, 1922, Romênia
Mulher de brio (The green hat), Michael Arlen, 1924, Bulgária
O mundo novo (Haddis alem), Heruy Wäldä-Selassé, 1925, Etiópia
Chaka, Thomas Mofolo, 1925, Lesoto
Alberta (Alberte og Jakob), Cora Sandel, 1926, Noruega
Tarka the Otter, Henry Williamson, 1927, Inglaterra
Vivendo (Meio de Vida), Henry Green, 1929, Inglaterra
Eu pensei em Daisy (I Thought of Daisy), Edmund Wilson, 1929, EUA
Passagem (Passing), Nella Larsen, 1929, EUA
O quinze, Rachel de Queiroz , 1930, Brasil
Monica, Saunders Lewis, 1930, Inglaterra
A bagaceira, José Américo de Almeida, 1928, Brasil
Insaciabilidade (Nienasycenie), Stanislaw Ignacy Witkiewick, 1930, Polônia
Reinações de Narizinho (O sítio do pica-pau amarelo), Monteiro Lobato , 1939, Brasil
Menino de engenho, José Lins do Rego , 1932, Brasil
Serafim ponte grande, Oswald de Andrade , 1933, Brasil
O verão mostrará (Summer will show), Sylvia Townsend Warner, 1936, Inglaterra
O homem do riquixá, Lao She, 1936, China
Capitães de Areia, Jorge Amado, 1937, Brasil
Vidas secas, Graciliano Ramos, 1938, Brasil
Na rubu pameti, Miroslav Krleza, 1938, Croácia
At swim-two-birds, Flann O'Brien, 1939, Irlanda
Finnegans Wake, James Joyce, 1939, Irlanda
Fogo morto, José Lins do Rego , 1943, Brasil
Ficções, Jorge Luis Borges, 1944, Argentina
Titus Groan, Mervyn Peake, 1946, China
Sagarana, Guimarães Rosa , 1946, Brasil
De volta (Back), Henry Green, 1946, Inglaterra
Viaje a la Alcarria, Camilo José Cela, 1948, Espanha
Cinzas e diamantes, Jerzy Andrzejewski, 1948, Polônia
Tudo sobre H. Hatter, G. V. Desani, 1948, Quênia
No coração dos mares, Shmuel Yosef Agnon, 1948, Israel
O tempo e o vento, Érico Veríssimo, 1949, Brasil
O caso do camarada Tulayev, Victor Serge, 1949, Bélgica
O jardim onde a Brass Band tocava, Simon Vestdijk, 1950, Holanda
Adeus a Maria, Tadeusz Borowski, 1948, Ucrânia
Mulheres excelentes, Barbara Pym, 1952, Inglaterra
O menino negro, Camara Laye, 1953, Guiné
Um dia de primavera, Ciril Kosmac, 1954, Eslovênia
Os confiantes e os mutilados, James Plunkett, 1955, Irlanda
A árvore do homem, Patrick White, 1955, Inglaterra
As raízes do céu, Romain Gary, 1956, Lituânia
O encontro marcado, Fernando Sabino , 1956, Brasil
A corda de manilha, Veijo Meri, 1957, Finlândia
Os preguiçosos, Ward Ruyslinck, 1957, Bélgica
O espelho cruel, Eilís Dillon, 1958, Irlanda
Crônica da casa assassinada, Lúcio Cardoso , 1959, Brasil
As moças do campo, Edna O'Brien, 1960, Irlanda
A garota de Bube, Carlo Cassola, 1960, Itália
Rostos na água, Janet Frame, 1961, Nova Zelândia
Memorias dun neno labrego, Xosé Neira Vilas, 1961, Espanha
A primeira noite de um homem, Charles Webb, 1963, EUA
O terceiro casamento, Costas Taktsis, 1963, Grécia
O coronel e o lobisomem, José Cândido Carvalho, 1964, Brasil
Por vezes uma ótima ideia (Sometimes a Great Notion), Ken Kesey, 1964, EUA
De volta a Oegstgeest, Jan Wolkers, 1965, Holanda
O rio do meio, Ngugi wa Thiong'o, 1965, Quênia
O dervixe e a morte, Mesa Selimovic, 1966, Bósnia
Quarup, Antonio Callado , 1967, Brasil
Assunto sério, Angus Wilson, 1967, Inglaterra
Um animal racional, Robert Merle, 1967, Argélia
A catedral, Oles Honchar, 1968, Rússia
Bolor, Augusto Abelaira, 1964, Portugal
O desaparecimento, Georges Perec, 1969, França
O assistente social, György Konrád, 1969, Hungria
As estações de Moscou, Venedikt Yerofeev, 1969, Rússia
Hasta no verte, Jesús mío, Elena Poniatowska, 1969, França
Aceite as coisas como são (Play it as it lays), Joan Didion, 1970, EUA
Romance da Pedra do Reino , Ariano Suassuna , 1971, Brasil
Vidas de meninas e mulheres, Alice Munro, 1971, Canadá
Os colegas, Lygia Bojunga, 1972, Brasil
O livro do verão, Tove Jansson, 1972, Finlândia
A filha do otimista, Eudora Welty, 1972, EUA
O cerco de Krishnapur, J. G. Farrell, 1973, Inglaterra
As meninas, Lygia Fagundes Telles , 1973, Brasil
Luka, Antun Soljan, 1974, Croácia
O comandante, Jessica Anderson, 1975, Austrália
Culpa (Blaming), Elizabeth Taylor, 1976, Inglaterra
Quarteto no Outono, Barbara Pym, 1977, Inglaterra
As guerras, Timothy Findley, 1977, Canadá
Quem você pensa que é?, Alice Munro, 1978, Canadá
Réquiem por um sonho, Hubert Selby Jr., 1978, EUA
A virgem no jardim, A. S. Byatt, 1978, Inglaterra
Uma carta muito longa, Mariama Bâ, 1979, Senegal
Cheiro de tristeza, Alfred Kossman, 1980, Holanda
A casa com janelas escuras, Herbjorg Wassmo, 1981, Noruega
Asas de chumbo, Zhang Jie, 1981, China
Casais, passantes, Botho Strauss, 1981, Alemanha
A grande arte, Rubem Fonseca , 1983, Brasil
A professora de piano, Elfriede Jelinek, 1983, Áustria
Viva o povo brasileiro, João Ubaldo Ribeiro , 1984, Brasil
Larva: a Babel de uma noite de São João, Julián Ríos, 1984, Espanha
Democracia, Joan Didion, 1984, EUA
O motorista Hines, James Kelman, 1984, Escócia
Lenda, David Gemmell, 1984, Inglaterra
Filtro de amor (Feitiço de amor), Louise Erdrich, 1984, EUA
Razões para viver, Amy Hempel, 1985, EUA
Meridiano sangrento (Meridiano de sangue), Cormac McCarthy, 1985, EUA
Metade do homem é mulher, Zhang Xianliang, 1985, China
A parábola do cego, Gert Hofmann, 1985, Alemanha
Toorberg, Etienne van Heerden, 1986, África do Sul
Matigari, Ngugi Wa Thiong'o, 1986, Quênia
Os montes Taebaek, Jo Jung-rae, 1986, Coréia do Sul
Balada para Georg Henih, Viktor Paskov, 1987, Bulgária
Todas as almas, Javier Marías, 1987, Espanha
Cigarettes, Harry Mathews, 1987, EUA
Estado de nervos, Tsitsi Dangarembga, 1988, Zimbábue
O primeiro jardim, Anne Hébert, 1988, Canadá
A amante de Wittgenstein, David Markson, 1988, EUA
Paraíso dos cegos, Duong Thu Huong, 1988, Vietnã
Inland, Gerald Murnane, 1989, Austrália
O truque é continuar respirando, Janice Galloway, 1989, Escócia
A melancolia da resistência, László Krasznahorkai, 1989, Hungria
O sexo da virgem, Jeanette Winterson, 1989, Inglaterra
O perito da meia-noite, William Kotzwinkle, 1990, EUA
As coisas que eles carregavam, Tim O'Brien, 1990, EUA
Entre mulheres, John McGahern, 1990, Irlanda
Vertigem, W. G. Sebald, 1990, Alemanha
Astradeni, Eugenia Fakinou, 1991, Egito
Regeneração, Pat Barker, 1991, Inglaterra
Previsível, Padgett Powell, 1991, EUA
Memórias da chuva, Sunetra Gupta, 1992, Índia
Inscrito no corpo, Jeanette Winterson, 1992, Inglaterra
A estrada do corvo, Iain Banks, 1992, Escócia
Indigo, Marina Warner, 1992, Inglaterra
Controlando o segredo da alegria, Alice Walker, 1992, EUA
O espelho triplo do ser, Zulfikar Ghose, 1992, Paquistão
A vida é uma hospedaria..., Emine Sevgi Özdamar, 1992, Turquia
O dono do mundo, Bharati Mukherjee, 1993, Índia
A invenção da salsicha temperada, Uwe Timm, 1993, Alemanha
A viagem de Felicia, William Trevor, 1994, Irlanda
Toji, Park Kyong-ni, 1969, Coreia do Sul
Quase memória, Carlos Heitor Cony, 1995, Brasil
A hora da morte, Petros Markaris, 1995, Turquia
O fim da história, Lydia Davis, 1995, EUA
Obra do amor, Gillian Rose, 1995, Inglaterra
Morvern Callar, Alan Warner, 1995, Escócia
O fim da história, Lydia Davis, 1995, EUA
Para sempre um estranho, Hella Haasse, 1996, Java
A vida dos insetos, Victor Pelevin, 1997, Rússia
Dinheiro queimado, Ricardo Piglia, 1997, Argentina
O fardo do amor (Amor para sempre), Ian McEwan, 1997, Inglaterra
O herege, Miguel Delibes, 1998, Espanha
The talk of the town, Ardal O'Hanlon, 1998, Irlanda
Trilogia suja de Havana, Pedro Juan Gutiérrez, 2001, Cuba
As cartas de Pavel, Pawels Briefe, 1999, Alemanha
Dois irmãos, Milton Hatoum, 2000, Brasil
Não tenho medo, Niccolò Ammaniti, 2001, Itália
Neve, Orhan Pamuk, 2002, Turquia
Vernon God Little, DBC Pierre, 2003, Irlanda
De amor e trevas, Amos Oz, 2003, Israel
Nove noites, Bernardo Carvalho, 2002, Brasil
Equador, Miguel Sousa Tavares, 2003, Portugal
Por acaso, Ali Smith, 2005, Escócia
Leite materno, Edward St. Aubyn, 2005, Inglaterra
A elegância do ouriço, Muriel Barbery, 2006, Marrocos
Leva-me contigo, M. J. Hyland, 2006, Inglaterra
Contra o dia, Thomas Pynchon, 2006, EUA
O legado da perda, Kiran Desai, 2006, Índia
O filho eterno, Cristovão Tezza, 2007, Brasil
Homem em queda, Don DeLillo, 2007, EUA
A fantástica vida breve de Oscar Wao, Junot Díaz, 2008, Rep. Dominicana
A mulher do meio-dia, Julia Franck, 2007, Alemanha
O encontro, Anne Enright, 2007, Irlanda
Kieron Smith,  Boy, James Kelman, 2008, Escócia
Em casa, Marilynne Robinson, 2008, EUA
O tigre branco, Aravind Adiga, 2008, Índia
Sacrifício (Cost), Roxana Robinson, 2008, EUA
Ferrugem americana, Philipp Meyer, 2009, EUA
Invisível, Paul Auster, 2009, EUA
O livro das crianças, A. S. Byatt, 2009, Inglaterra

 

Clique AQUI para adquirir livros de Goulart Gomes.

Goulart Gomes
Enviado por Goulart Gomes em 19/10/2010
Alterado em 05/02/2011
Comentários