Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO AMOR
A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO AMOR
(Goulart Gomes)


Que ninguém saiba:
falo dos teus olhos
Terras castanhas, precipício de almas;


Que ninguém veja:
falo do teu riso
Oceano de ritmos, vertigem e calma;


Que ninguém ouça:
falo da tua voz
Perdição de Ulisses em alto mar;

Que ninguém toque:
falo das tuas mãos
Recriar do mundo, elementar;


Que ninguém sinta:
falo da tua boca
Pura seda, roçar de borboletas;


Que ninguém aspire:
falo do teu cheiro
Inspiração eterna de poetas;


Que ninguém ouse:
falo do teu corpo
Porção visível do infinito;


Que ninguém duvide:
        falo do que sinto
Amor assim não houve, mais bonito;


Que ninguém entenda:

o amor é um hiato
Entre o vivido e o sonhado;


Que ninguém tema:

o amor é imponderável
Fluido, muito além do leve ou do pesado.
Goulart Gomes
Enviado por Goulart Gomes em 17/11/2006
Alterado em 24/11/2006
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Goulart Gomes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários