Território Inimigo
Literatura, História, Museologia e Numismática. Sítio de Goulart Gomes, o criador do Poetrix.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


CARTA A UM JOVEM BUSCADOR
(seleção de ensinamentos de diversos Mestres, elaborada por Goulart Gomes)




Meu amigo:

Você me diz que deseja iniciar um caminho que o conduza a outros valores, a um encontro consigo mesmo, que o faça se sentir parte integrante do universo, e não apenas alguém que levanta pela manhã, trabalha, estuda, come, bebe, namora e dorme. Você me diz que já não sente o mesmo ímpeto de antes para a conquista de bens materiais e que gostaria de buscar algo que o realizasse como Ser Humano e não como uma peça dessa gigantesca engrenagem chamada sociedade. Você me diz que por vezes tudo à sua volta parece vazio e banal e que nem sair comprando um monte de coisas inúteis já o satisfaz. Você me diz que olha o seu rosto no espelho e percebe por quantas transformações o Tempo o fez passar, mas não percebe nenhuma mudança interior significativa.

Então, eu relembro de uma antiga frase que diz que um mestre só pode mostrar o caminho, mas você terá que trilhá-lo com seus próprios pés. E é a mim, que nem sou um mestre, a quem você traz esses questionamentos! Sou um buscador  (na Índia, sannyasin), como você, sigo os caminhos que surgem, sem partida nem chegada, aprendendo com a trilha. Não sei se posso responder satisfatoriamente às suas perguntas mas, ao menos, posso lhe contar algumas coisas que aprendi nessa busca eterna. Posso repetir o que os verdadeiros mestres me falaram:


1. APRENDA A PARAR

Há quanto tempo você não ouve a si mesmo? Há quanto tempo você não dá atenção à sua voz interior? Parece que as pessoas estão continuamente fugindo de si mesmas, daquela voz interior sempre disposta a sinalizar qual o caminho correto. Ocupamos a nossa mente 24 horas por dia. Até dormindo, continuamos pensando nas coisas e pessoas do mundo que nos cerca. Direcionamos nossa atenção para as questões do trabalho, para o aprendizado na escola, para nossos relacionamentos interpessoais, para as notícias sobre o mundo, mas nunca para nós mesmos. Ocupamos o nosso tempo disponível indo ao estádio, ao clube, às festas, ao teatro, ao cinema, a milhões de lugares, mas nunca ao encontro do nosso Eu Superior. É preciso silenciar a mente para ouvir a nossa Voz Silenciosa. O budismo desenvolveu uma prática meditativa chamada Zazen. Os indianos desenvolveram a Raja Ioga. O catolicismo criou o voto de silêncio. Todas as crenças sabem o quanto é importante exercitar o Silêncio, porque ele é o primeiro passo para o autoconhecimento. Portanto, sempre que possível, PARE. Aquiete-se. Pratique zazen, ioga, meditação ou qualquer outra prática que o permita estar só consigo mesmo. Deixe que a mente, esse macaquinho inquieto sempre pulando de galho em galho, se acalme. Não é preciso ir para as montanhas do Tibet ou para o Vale do Capão para encontrar a Paz. Ela está dentro de você. Pare. Pare todas as ações, todos os julgamentos, todos os pensamentos sobre o mundo que o cerca. No silêncio interior você encontrará o que é verdadeiramente essencial.



2. DEIXE O PASSADO NO PASSADO

Prender-se ao passado é eliminar a possibilidade de construir um futuro. As coisas que aconteceram em sua vida – a maioria delas distorcidas e confundidas pela memória – são um parâmetro, um referencial para as suas decisões no presente, que são fundamentais para o que você deseja ser no futuro. Muitas pessoas vivem presas a relações que já terminaram, a rancores de muitos anos, a erros cometidos na juventude. Nunca perdoam o outro nem se perdoam. E essa falta de perdão é uma vigorosa corrente que nos prende ao que fomos ou fizemos, impedindo o nosso crescimento. Não existe uma escola da vida. A vida é um longo e contínuo aprendizado. Quem lhe contou que você não podia errar? Todos nós erramos, do mais simples e humilde ao grande mestre. E crescemos com o aprendizado proporcionado pelos erros, quando deles sabemos extrair a lição. Por isso, exercite o perdão, a si e aos outros. Você errou no passado? Ok, tudo bem. “Seus pecados estão perdoados; vá e não peque mais”, disse o Cristo. É isso o que precisamos fazer com nós mesmos: ter a consciência do erro, mas entendê-lo como uma etapa do nosso processo evolutivo, uma etapa já superada, que não deve mais se repetir. Da mesma forma, a raiva, o ódio, o rancor que continuamos direcionando a alguém que há muito tempo nos magoou, já não pode afetá-lo. Só atinge a quem o sente. Se você quer seguir em frente, não pode andar de costas, olhando o que passou o tempo todo. Guarde os aprendizados que teve e deixe que as feridas cicatrizem-se com o tempo. O filósofo Horácio dizia “Carpe Diem”, aproveita o teu dia! Viva o presente, o aqui-agora, a única coisa que realmente temos.



3. CUIDADO COM OS TRÊS VILÕES

Nesse ponto eu preciso chamar a sua atenção para o cuidado com os Três Vilões. Eles são muito perigosos, vão lhe assediar o tempo todo e a qualquer descuido seu, eles vão dominar todos os seus pensamentos e atitudes. Eles vão enfraquecê-lo, adoecer o seu corpo, mente e alma. Eles lhe proporcionam um falso e efêmero prazer, como um droga, da qual você vai se tornar dependente e querer dosagens cada vez maiores. Eles se chamam Poder, Sexo e Dinheiro

Abra mão de todo o Poder. Os mestres dizem: o oposto do Amor não é o Ódio, mas o Poder. O Poder não deve ser acumulado, mas compartilhado, em benefício de todos. Quando a Índia obteve a sua independência da Grã-Bretanha, todos queriam que Gandhi fosse o seu primeiro presidente. Ele abriu mão dessa honra. O príncipe Sidarta abriu mão do seu reino, para se tornar o Buda. Cristo abriu mão de ser o Rei dos Judeus para ser um pastor de almas. Francisco de Assis abdicou de sua herança para servir aos pobres. Nós vivemos competindo e acumulando, numa eterna disputa com os que estão à nossa volta. Seja na família, na escola, no trabalho, na universidade, no bairro. Exercitamos nosso poder através da sagacidade, da sedução, da força física, dos cargos de mando temporários, da melhor condição financeira. Vivemos buscando situações privilegiadas, que nos permitam controlar, mandar, decidir, influenciar, tirar proveito. O livro O Senhor dos Anéis, de Tolkien, retrata bem isso. Um Anel (My Precious) transforma o seu dono em alguém muito poderoso, mas que também é destruído, enlouquecido por esse mesmo poder. Porque a sede pelo poder é insaciável. Você vai querer sempre mais ou nunca vai querer abrir mão do que tem. Por isso, não acumule poder, compartilhe-o, divida-o. A conquista e a manutenção do poder conquistado absorvem enormes quantidades de energia vital (ou psíquica, libido), que poderia ser bem melhor aproveitada. Esvazie suas mãos, se você quer alcançar coisas verdadeiramente valiosas. Entenda: você só está aqui de passagem e vai voltar tão nu quanto chegou.

Coloque o Dinheiro em seu devido lugar. Se o seu objetivo é buscar um caminho espiritual, o primeiro passo é desapegar-se das coisas materiais. Isso não quer dizer que você deve sair dando tudo o que tem e ir viver em uma comunidade alternativa. Não é essa a única solução. Não. Você apenas deve entender que as coisas lhe pertencem, e não que você pertence a elas. Melhor ainda, conscientize-se que nada lhe pertence: você apenas está tomando conta de tudo que acha que é seu. Digamos que você morra amanhã (e isso não é pouco provável, diante de tanta violência, epidemias, catástrofes naturais e provocadas às quais estamos sujeitos!). Tudo o que você acumulou – dinheiro, bens, imóveis, etc – passará às mãos de outras pessoas! Não lhe servirá para nada mais! Portanto, se mais cedo ou mais tarde você vai ter mesmo que se despedir de tudo isso, porque não fazê-lo agora, e de uma forma consciente? E mais, sempre pergunte a si mesmo, verdadeiramente, se realmente você precisa de um celular mais moderno, uma televisão maior, uma casa mais espaçosa, um carro mais rápido e confortável e PORQUÊ. “Porquê” é uma palavrinha mágica que quase sempre preferimos não utilizar. Porque ela é reveladora e nos diz coisas que preferiríamos não ter que ouvir. Portanto, corte aos poucos essas centenas de “cordões umbilicais” que lhe distanciam de você mesmo. Você não está nas coisas, você não pertence a elas. Use-as com parcimônia e equilíbrio. O dinheiro é um meio, não um fim em si mesmo. Descubra o que realmente é essencial para sua vida e pare de carregar nas costas tudo o que não precisa. Uma mochila leve tornará mais fácil a sua caminhada.

Sexo é muito bom. É bom demais. É excelente. Mas, se você não tomar cuidado, todos os seus pensamentos, todas as suas palavras, todas as suas ações vão estar voltadas para ele. Você vai conduzir todos os seus relacionamentos com o único objetivo de ter mais e mais sexo, cada vez mais intenso, cada vez mais diversificado, mais criativo. E então, você vai passar a viver da cintura para baixo e todas as possibilidades de atingir outros níveis de consciência estarão perdidas. O sexo também é um caminho para a iluminação, um caminho de aprendizado, mas quando exercido com equilíbrio, integração e, sobretudo, amor. O sexo é um caminho para a descoberta do verdadeiro amor e de grandes mananciais de energia interior, como nos ensina o tantrismo. Não se torne apenas um objeto de prazer.



4. CUIDE DO SEU CORPO

Por muitos séculos, a maioria das religiões ensinou o homem a desprezar o corpo, como algo impuro, pecaminoso, um obstáculo ao caminho espiritual. Isso é um grande erro. Não estamos falando aqui do culto hedonista às formas voluptuosas das mulheres e aos músculos “malhados” dos homens, tão comuns na sociedade ocidental. Não se trata disso. Não estamos falando de forma, mas de conteúdo. Não estamos falando de querer manter, a qualquer preço, a eterna juventude. Quem não quer amadurecer, não quer aprender, dizia Jung. Não estamos falando de fazer do corpo um objeto de culto ao prazer, mas de veículo da alma. Essa experiência de vida só é possível por intermédio do corpo. É através dele, literalmente, que podemos absorver os conhecimentos que nos farão evoluir. A doença é, não raro, conseqüência do nosso descuido com as nossas emoções, nossos sentimentos, nossos pensamentos, além da nossa higiene e cuidados pessoais, tornando-se um obstáculo ao nosso progresso. Tome consciência de que você não é apenas o seu corpo, que ele é apenas um objeto perecível, uma máquina que se deprecia com o tempo até a total inutilidade, mas que precisa ser tão bem tratado quanto o seu carro novo. Porque, como qualquer outro veículo, é ele quem vai lhe conduzir ao ponto aonde você quer chegar. O corpo é uma ponte entre a vida material e a espiritual. É preciso mantê-lo em perfeitas condições, enquanto a travessia se faça necessária e a melhor forma de cuidar do corpo é a prática da ioga. Dedique tempo a cuidar de si mesmo.

Alimentação. Grande parte da população mundial é vegetariana. Bilhões de pessoas jamais colocaram um pedaço de carne na boca. Mas outros bilhões são declaradamente carnívoros. E nós encontramos pessoas com boa qualidade de vida de ambos os lados. Não quero defender nem uma visão nem outra. O apóstolo Paulo ouviu uma voz que dizia: “O que faz mal não é que o entra pela boca do homem, mas o que dela sai”. Assim, acredito que a chave desse mistério esteja no equilíbrio, na moderação. Grande parte das doenças que nos acometem são provocadas pelos excessos: excessos de determinado tipo de alimento, excesso de bebidas alcóolicas, excesso de cigarro e outras drogas, excesso de sexo, excesso de ambição de orgulho, de vaidade. Tenha uma alimentação equilibrada, que atenda às necessidades particulares de seu organismo. Sem dúvida essa é a melhor opção.



5. ESCOLHA UM MESTRE E ENCONTRE OUTROS BUSCADORES

Não se trata de se tornar fanático por nenhuma religião ou seita. Muitos mestres já viveram entre nós e cada um deles trouxe uma importante colaboração ao nosso crescimento. Aprenda um pouco com todos. Cada uma das suas mensagens estava adequada à época, à cultura, à região onde viveram e, apesar disso, cruzaram os séculos. Mestres que se tornaram lendários como Buda, Lao Tsé, Confúcio, Maomé, Cristo e Krishna, mestres contemporâneos, como Gandhi, Osho, Sai Baba e Teresa de Calcutá. Não importa a sua origem nem a sua religião. O que interessa para nós é a sua mensagem. Escolher um mestre é ter um referencial, alguém que lhe inspire, por sua vida ou por suas palavras, que lhe incentive a atingir níveis mais elevados, que seja para você um modelo, um exemplo a ser seguido. Mas é preciso saber que não existe crescimento individual sem crescimento coletivo e vice-versa. Por isso é importante encontrar outros buscadores que tenham as mesmas crenças e objetivos que você, pessoas com as quais você possa trocar conhecimentos, informações, objetivos, com quem você possa até realizar projetos, construir núcleos de discussão e de ação, fomentando o surgimento de novos buscadores. É como o Cristo exemplifica na parábola dos talentos: conhecimento não é para ser acumulado, é para ser compartilhado!



6. APRENDA COISAS NOVAS. SEMPRE

Existem dois comportamentos que enferrujam o seu cérebro: achar que já sabe tudo sobre qualquer coisa ou achar que não tem capacidade de aprender mais nada. É preciso estar em constante contato com o Conhecimento: aprenda coisas novas, leia livros diferentes dos que está acostumado a ler, faça cursos, participe de grupos de intercâmbio, aprenda um novo idioma, realize viagens culturais, assista palestras, documentários ou até mesmo mantenha o velho hábito de fazer palavras cruzadas. A sua mente tem um incrível poder de rejuvenescimento. Só é “velho” quem quer. Sabedoria é a soma de experiência, cultura e inteligência. Agregar novas informações ao que já sabemos amplia os nossos horizontes e nos faz perceber o quanto o universo é rico, diversificado e cheio de possibilidades. Esse é o verdadeiro Elixir da Eterna Juventude.



7. EXERÇA A COMPAIXÃO E A CARIDADE. PRATIQUE O AMOR.

É muito comum confundirmos pena com compaixão. A pena é passiva; a compaixão é ativa. A pena é um gesto de indiferença solidária, onde não há qualquer espécie de comprometimento. A compaixão é um ato de amor. Exercer a compaixão é solidarizar-se profundamente com aquele que sofre, sem julgamentos nem discriminações, sem tomar partido nem buscar causas. E a caridade é a consumação da compaixão. Quando diziam a Madre Teresa de Calcutá que ela não deveria dar peixes, mas ensinar a pescar, lembrando a frase cristã, ela respondia que muitos daqueles necessitados não tinham forças nem para segurar a vara de pesca. A compaixão e a caridade são os pontos altos da solidariedade humana, é a consciência de que não somos ilhas e que o beneficiado de hoje poderá ser o colaborador de amanhã, assim como talvez tenhamos sido no passado. Todos nós pertencemos a uma só raça, a raça humana, e tudo que diz respeito ao seu próximo também o diz a você. A solução para os grandes problemas do nosso mundo não virá dos palácios, dos parlamentos nem da diplomacia, mas sim da prática fraterna dos homens e mulheres de boa vontade. Por isso, experimente a indizível sensação de ter feito a diferença para alguém, seja oferecendo um prato de alimento, levando uma palavra de alento, conseguindo um emprego para quem necessita ou fazendo qualquer doação. Pratique o amor incondicional, sem desejar nada em troca além da sensação de ter permitido fluir a Bondade que existe em você.



8. SINTA. PERCEBA

No alto do Oráculo de Delfos, na Grécia, cinco séculos antes de Cristo, havia uma inscrição que dizia “Temet Nosce”: Conhece-te. O filósofo Sócrates a adotou e hoje a sua frase “Conhece-te a Ti Mesmo” é muito popular. Conhecer-se vai muito além de memorizar os números dos seus documentos. Conhecer-se é o que Jung chamava de “processo de individuação”. É trabalho para a vida toda. É saber porque e como VOCÊ reage a cada situação, o que lhe move, seja positiva ou negativamente, e o que realmente você deseja para sua vida. É também saber qual o seu papel na família, na comunidade, na sociedade, no universo. Conhecer-se vai além dos cinco sentidos. Para isso é preciso perceber-se não apenas racionalmente, mas também intituitivamente. É exercitar o seu feeling, observar-se como se fosse um estranho. è conhecer seus aspectos mais obscuros. É preciso sentir-se e sentir o mundo à sua volta. Perceber as mensagens subliminares que o Universo lhe envia.



9. FAÇA SUAS ESCOLHAS COM COERÊNCIA E VERDADE

O melhor caminho sempre é aquele trilhado com a Verdade. Sempre que alguma decisão, alguma dúvida lhe assaltar sobre que caminho tomar, se é melhor contar a verdade ou omitir um fato, não hesite: a Verdade sempre é o melhor caminho. Ainda que a curto prazo isso pareça um desastre e o mundo caia sobre os seus ombros, não hesite. A médio ou longo prazo você terá a certeza que fez a melhor opção quando escolheu a Verdade. A sua própria consciência lhe dirá isso. A Verdade não dá margens para dúvidas, não pode ser mascarada. A Mentira não poderá acompanhá-lo por muito tempo, se você segue o caminho do Buscador, porque ela tem pernas curtas. A Verdade estará sempre com você, aonde quer que você vá, e você nunca se sentirá sozinho. Nem sempre uma decisão importante se mostra acertada logo no dia seguinte. O que às vezes parece um Mal, pode se revelar um Bem. Mas as escolhas feitas com Coerência e Verdade, cedo ou tarde, sempre se revelam as mais acertadas. Você pode dizer qualquer coisa a qualquer pessoa, desde que esteja atento para não ofendê-la.




10. EXERCITE A SUA FÉ. ORE.

A sua relação consigo mesmo é também uma relação com o Universo. Alma, Espírito, Si-Mesmo, Self, Ser, Consciência, Eu-Superior ou como quer que chame a essência imortal que você é, não está sozinha. Mesmo mantendo a sua individualidade, ela faz parte de Algo muito maior, como gotas que compõem um Oceano: cada uma delas contém as mesmas características do Todo, mas são partes dele, e juntas criam algo maior do que a soma das partes. Exercitar a fé é mobilizar as maiores fontes de energia que existem em você, que podem ser direcionadas para qualquer objetivo nobre. Orar é estabelecer uma sintonia com o que há de mais puro em seu Ser, é realizar uma experiência numinosa, é conectar-se com o que há de mais sagrado. A palavra Religião significa Religar; a palavra Ioga significa União. E é isso que buscamos pelo exercício da Fé e da Oração: é um retorno à fonte espiritual que nos vivifica, provocando a confortadora sensação de bem-aventurança e proteção que precisamos para superar os obstáculos em nosso caminho de buscadores.



11. LIBERTE-SE DOS VÍCIOS

Todo vício é uma dependência, uma muleta que nos sustenta artificialmente. O vício lhe diz o tempo todo que você não é capaz de superar a si mesmo, não a ele. Ele adora ouvir você dizer “eu posso parar quando quiser”. Então, por que não para? Por que continuar alimentando a ilusão de que ali está a solução dos seus problemas, se quando muito ele apenas pode mantê-lo anestesiado para a Vida? Um vício é como andar em círculos, é estar preso em um labirinto. Você não consegue dar um passo além, encontrar uma saída, enxergar soluções. Ele cega, aliena e escraviza. E um Buscador não pode ser escravo de ninguém. O Buscador é alguém que preza a Liberdade com Responsabilidade acima de tudo. Quando uma mulher foi pedir a Gandhi que dissesse a seu filho para parar de comer açúcar, ele lhe pediu que voltasse alguns dias depois. É que ele próprio precisava parar de comer açúcar antes de falar com o garoto. Os vícios são assim, eles se instalam de forma sorrateira e quando percebemos eles já nos dominaram quase completamente. Por isso seja lá qual for o seu vício, mostre a ele quem é que manda. Abandone-o imediatamente na beira da estrada e siga o seu caminho sem esse fardo. Para quem quer andar muito, é preciso estar leve.



12. A FAMÍLIA

Sabemos que todos nós fazemos parte de uma grande família universal, que isso nos faz irmãos. Mas, em círculos concêntricos, atuamos em vários níveis, em várias esferas. O ponto no centro destes círculos é você e a órbita mais próxima desse eixo é o seu núcleo familiar: avós, pais, irmãos, esposos, filhos, netos etc. São essas pessoas que o Universo quis que estivessem bem perto de você, para aprenderem juntos, para crescerem juntos, para se auxiliarem mutuamente. Quando tudo parecer perdido, estranho, quando você não se sentir bem em nenhum lugar é para lá que você vai querer voltar, para a proximidade daqueles que são os próximos mais próximos de você. Por isso, apesar do Buscador trilhar o seu caminho de forma solitária, ele precisa estar atento à sua família, seja ela natural ou adotada. É nela que se iniciam os maiores exercícios de humanidade, os quais vamos precisar a vida toda. É nela onde primeiro praticamos a solidariedade, a benevolência, a paciência, o perdão, a comunhão. É a família que prepara o Buscador para ser um Cidadão do Universo.


Planeta Terra, 2010.



Sugestões de leitura (ordem alfabética):

A arta da felicidade, de Dalai Lama
A cura de Schopenhauer, de Irvin Yalom
A essencial arte de parar, de David Kundtz
Aprendendo a silenciar a mente, de Osho
Autoperfeição com Hatha Yoga, de Hermógenes
Bhagavad Gita
Em busca da espiritualidade, de James Van Praagh
Fernão Capelo Gaivota, de Richard Bach
Introdução ao Zen Budismo, de Suzuki
Luz de Yoga, de Iyengar
Luz na Vida, de Iyengar
Matrix Revelations, de Goulart Gomes (disponível para download gratuito em www.goulartgomes.com)
Memórias Sonhos e Reflexões, de Carl Gustav Jung
Mito Pessoal e Destino Humano, de Adenáuer Novaes
O livro da transformação, de Osho
O poder do agora, de Eckhart Tolle
Os Sete Vales (ensaio), de Osho
Paulo e Estêvão, de Chico Xavier e Emmanuel
Yoga, Imortalidade e Liberdade (filosofia oriental), de Mircea Eliade

Sugestões de filmes (ordem alfabética):

A grande viagem
A Partida
À procura da felicidade
Colcha de Retalhos
Diário de uma paixão
Fale com ela
Forrest Gump, o contador de histórias
Gênio Indomável
Janela da Alma
Matrix
Minha vida sem mim
O homem bicentenário
O Senhor dos Anéis
Os miseráveis
Quando Nietzsche chorou
Sete anos no Tibet

-----------------------------------------------------------------------------------------------

Agradecimentos a Teresa Cristina Lemos pela sugestão de criação deste texto.

Última atualização deste texto: 09-01-2010
Goulart Gomes
Enviado por Goulart Gomes em 09/01/2010
Alterado em 28/11/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Autor: Goulart Gomes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários